Comissão aprova projeto que criminaliza violação de comunicação militar eletrônica

Anistia a bombeiros e policiais do Espírito Santo é aprovada na Comissão de Relações Exteriores
4 de outubro de 2017
Comissão reduz tempo exigido a PM para fazer curso
4 de outubro de 2017

Comissão aprova projeto que criminaliza violação de comunicação militar eletrônica

A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional aprovou projeto do deputado Alberto Fraga (DEM-DF) que criminaliza a violação de conteúdo de banco de dados eletrônico militar (PL 4839/16). A pena prevista é detenção de um a dois anos.

Incorrerá na mesma pena quem se apossar indevidamente de conteúdo de mensagem eletrônica, divulgar comunicação de interesse militar ou impedir a comunicação militar. A pena será aplicada em dobro se a violação ou interceptação resultar em risco à segurança de unidade militar ou à segurança nacional.

A relatora, deputada Bruna Furlan (PSDB-SP), apresentou parecer pela aprovação da proposta. Segundo ela, as informações militares precisam ser muito bem resguardadas das ameaças difusas e invisíveis que colocam em risco nossa defesa contra forças adversas, internas e externas.

“Como imaginar desprotegidas informações militares ligadas aos projetos estratégicos das Forças Armadas, tais como o desenvolvimento da aeronave KC-390 ou a construção do submarino com propulsão nuclear? ”, disse Furlan, que é presidente do colegiado.

Tramitação O projeto ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, antes de ser votado pelo Plenário.